TV BJCV de 25/08/2014


OBS.: Atualmente o navegador Firefox está com uma qualidade melhor de imagem para vídeos do YouTube do que o Chrome, que está esbranquiçada.
   






Isso não é propaganda eleitoral, é politicagem!

Rio, 21/08/2014 - 00:07

A Paz do Senhor Jesus a todos os irmãos!

Na terça feira 19, dia em que começou o "Horário Cômico Eleitoral", um candidato me chamou a atenção por pedir a presidente Dilma que rompesse as relações políticas com Israel. Ele não estava pedindo votos e nem apresentando propostas para o seu mandato, ele estava aproveitando a transmissão gratuita em rede nacional para fazer politicagem contra Israel, vejam abaixo.

OBS.: Agradeço a irmã Luciana do ES por ter achado esse vídeo, pois no dia eu procurei pela Net e não havia encontrado.
  

PSTU DEFENDE O FIM DO ESTADO DE ISRAEL 

A FIERJ já está tomando providências sobre a propaganda do candidato Cyro Garcia, candidato a deputado federal pelo PSTU, que, no horário eleitoral gratuito na televisão, defendeu o fim do Estado de Israel e solicitou ao governo brasileiro que “rompa economicamente com Israel”. De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral, “as transmissões não estão sujeitas a prévia censura, por elas respondendo, na forma da lei, os que as promoverem, sem prejuízo da responsabilidade pelas expressões faladas ou pelas imagens transmitidas (Resolução/TSE nº 20.034/1997, art. 11). O conteúdo das propagandas partidárias é de responsabilidade dos órgãos partidários (Lei nº 9.096/95, art. 46)”

Fonte: CBN

Site BJCV: Essas pessoas além de odiarem a Israel, ainda tentam trazer sobre a nossa nação a ira de Deus. Seja a ira de Deus apenas sobre os que buscam o mal de Israel e não sobre toda esta nação.

Louvado seja o Deus de Israel!

André M. dos Santos

Como ajudar o Hamás a enganar o mundo

Rio, 15/08/2014 - 20:30

A ONU e muitos políticos e civis preferem acreditar em terroristas do que em Israel, por que será?


   
Não podemos afirmar isso, mas não devemos ignorar tal possibilidade:

"E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade." (2ª Tessalonicenses 2.11, 12)

Seria a operação do erro o crer no islamismo? Pois apoiar o Hamas ou a "Palestina" contra Israel é um passo para a "conversão" ao islamismo. O islã nunca foi uma religião de paz e todos sabem disso, por que então o apoio? No que diz respeito aos governos eu só posso pensar em interesses financeiros, mas e o povão? Bem, na verdade, o que realmente me preocupa, e já tenho manifestado isso através de muitos artigos neste Site, é a posição das igrejas evangélicas, se ficarão contra ou a favor de Israel. Se prestaremos contas a Deus por cada palavra que pronunciamos em nossa vida, por que não prestaríamos contas por nos levantarmos contra Israel?

A Bíblia nos diz que Deus trará as nações contra Israel, e já podemos ver isso acontecendo dia a dia, mas isso não significa que até nós evangélicos também nos oporíamos contra ele. É importante esclarecermos a diferença entre apoiar a nação de Israel e apoiar as ações de Israel. Digo isso, pois Israel errou e continua a errar, no que diz respeito ao Senhor Jesus Cristo, mas em se defender e defender o seu povo Israel em nada tem errado.

Como ajudar o Hamás a enganar o mundo?

É fácil: É só continuar a divulgar suas mentiras e a fazer manifestações públicas contra Israel. É só continuar a afirmar que o Islã é uma religião de paz apesar de tanta violência praticado por eles contra os não islâmicos, vídeo abaixo.
  
Aviso: Cena extremamente violenta.

   
Isso os defensores do Hamás, da "Palestina" e do islã não mostram. Isso é o que eles fariam ao mundo todo se pudessem. O texto abaixo foi extraído de um dos muitos Sites e Blogs islâmicos existentes no Brasil com a permissão do governo federal.

"A MAIOR TRETA VAI SER QUANDO JESUS(S) VOLTAR

O Profeta(saws) disse: “Ele descerá junto a um minarete branco a leste de Damasco.” Ele descerá no momento da oração quando os muçulmanos já tiverem se preparado para atacar o Dajjal e seus seguidores.

O Profeta(saws) disse com relação ao Profeta Isa(s): “Ele combaterá as pessoas até que aceitem o islam, então quebrará a cruz, matará os porcos, e abolirá a Jizia. E durante seu tempo Allah destruirá todas as religiões exceto o Islam.”  (Sahih- Abu Daud)

Jesus(S) quando voltar eu te empresto a minha quadrada você enquadra, e eu crucifico quem traiu sua palavra."

---------------------------------------------------------------------------
   
A intenção dos islâmicos no Brasil não é outra, e usando suas próprias palavras publicadas no Site acima é: Destruir todas as religiões não islâmicas no Brasil e no mundo. Você ainda tem dúvidas? Então leiam mais sobre isso nos Sites e Blogs abaixo.


Mas nem todos concordam com as mentiras

O vídeo abaixo foi indicado pelo irmão Claudio do RJ no Mural de Comentários BJCV.


Amados irmãos, está, creio eu, chegando a hora em que teremos que assumir uma posição clara de evangélicos bíblicos ou de evangélicos apóstatas (sem compromisso com os ensinamentos de Jesus). Muitos já os têm negado trocando-o por "novas" religiões que acusam com mentiras, tanto a Jesus Cristo como os que o seguem (os evangélicos) assim como a Israel. E fazem isso para, desde já, começarem a se opor a Cristo, pois o anticristo estaria às portas, e provavelmente se manifestará em 2015 como foi revelado na igreja do Nazareno no Paraná. E o que você está fazendo? Eu espero que pelo menos esteja orando.

Deus abençoe a ti, sua família e igreja!

André M. dos Santos

Em qual igreja (denominação) está a verdade?

Rio, 10/08/2014 - 10:27

Em 2010 o IBGE divulgou mais um de seus resultados colhidos no Censo 2010. Analisamos os dados e concluímos que o Brasil esta vivendo uma nova fase, o do evangelismo Cristão protestante. Hoje, os evangélicos somam mais 42 milhões e 60% desse total são pentecostais, o grupo que mais cresce no Brasil. Hoje, os evangélicos são 22% da população do Brasil, e as previsões dizem, que antes de 2020, os evangélicos serão maioria no país.
  
As 10 maiores denominações evangélicas do Brasil

Assembleia de deus

Igreja Assembléia de Deus

Homens:5 586 520
Mulheres:6 727 891
Total:12.314.410
Igreja bastista

Igreja Evangélica Batista

Homens:1 605 823
Mulheres:2 118 029
Total:3 723 853
Congregacao crista no Brasil

Igreja Congregação Cristã do
Brasil

Homens:1 060 218
Mulheres:1 229 416
Total:2 289 634
Igreja universal do reino de deus

Igreja Universal do Reino de
Deus

Homens:756 203
Mulheres:1 117 040
Total:1 873 243
Igreja do evangelho quadrangular

Igreja do Evangelho Quadrangular

Homens:774 696
Mulheres:1 033 693
Total:1 808 389
Igreja adventista

Igreja Evangélica Adventista

Homens:704 376
Mulheres:856 695
Total:1 561 071
Igreja luterana

Igreja Evangélica Luterana

Homens:482 382
Mulheres:517 116
Total:999 498
Igreja presbiteriana

Igreja Evangélica Presbiteriana

Homens:405 424
Mulheres:515 785
Total:921 209
Igreja Deus e amor

Igreja Deus é Amor

Homens:365 250
Mulheres:480 133
Total:845 383
10°Igreja Maranata

Igreja Maranata

Homens:156 185
Mulheres:199 835
Total:356 021

Fonte: Top 10 Mais

Comentando

Mas em qual dessas igrejas (denominações) estaria a verdadeira mensagem do Senhor Jesus? Seria na maior, na menor ou no meio termo?

O artigo abaixo, publicado no Site BJCV em 17/03/2005, ajudará a jogar um pouco de luz sobre esse assunto.

1- QUEM TEM RAZÃO?

Por Jaime Nunes Mendes

Virou rotina abrir-se igrejas evangélicas. A cada dia surgem novas denominações. Há uma espécie de círculo vicioso ou virtuoso (como há de querer alguém) que já é crônico entre os crentes. Algo mais ou menos assim: abre-se uma nova igreja, que cresce e expande-se. Na medida que ela vai crescendo, cresce também a insatisfação de muitos dentro dela. A “verdade” que ela prega passa a ser questionada, e muitos rejeitam o monopólio. Não demora muito, e o descontentamento gera “rebeldia” e esta faz surgir uma nova denominação, que crescerá e que culminará em uma outra, e assim sucessivamente, numa espécie de metamorfose contínua da verdade. E isto tem causado sérios prejuízos ao reino de Deus. A concorrência fica a cada dia mais acirrada, e com isso os escândalos tornam-se inevitáveis. Certo jornal, aqui de São Paulo, publicou a seguinte manchete: “Crentes da Zona Leste estão em pé de guerra”. O periódico noticiava brigas entre irmãos na fé, os quais até foram parar na polícia.

O interessante é que, se fizermos uma análise criteriosa sobre as Declarações de Fé de cada uma dessas igrejas, concluiremos que todas elas crêem igualmente que: há um só Deus, o Criador do universo; em Jesus como o único Salvador; no Espírito Santo como aquele que convence o homem do pecado; e na Bíblia como o único guia infalível de fé. Contudo, cada uma, separadamente, considera-se mais fiel aos ensinamentos bíblicos.

Até aí tudo bem. Agora, o problema é quando se entra no campo minado dos costumes. Aqui, como diria um bom cearense, “a coisa fica ruça”.

Pessoalmente, pesquisei quatro denominações no item costume, especificamente no que diz respeito à aparência física do homem. A conclusão foi a seguinte:

Na primeira: é expressamente proibido ao membro raspar a barba e o bigode; 
Na segunda: 
é radicalmente proibido ao membro deixar crescer a barba ou o bigode; 
Na terceira: 
pode-se, no máximo, deixar crescer o bigode; 
Na quarta: 
fica a critério do membro decidir o que quer: se só barba, se barba e bigode, se só bigode ou se raspa tudo. Então Indaguei: Quem está com a razão? Quem diz a verdade?

A resposta Paul E. Bilheimar dá em seu livro O AMOR COBRE TUDO: “O problema real não é quem tem razão e quem não tem, nem mesmo quem quase não tem razão. O problema é a deficiência do amor... Quando um crente rompe as relações com um irmão nascido de novo por causa de um ponto não essencial, não é por que seu amor por suas opiniões é maior do que o amor por seu irmão?" E continua: “É provável que o pecado da desunião tenha causado a perdição de muitas mais almas do que a combinação de todos os outros”.

2- AS “ESTRELAS EVANGÉLICAS” E A ESTRELA DO EVANGELHO

O que leva um cristão que se diz convertido a comprar ingressos para assistir a um show gospel? Por que muitos que dizem adorar somente a Cristo, gritam e aplaudem as “grandes estrelas evangélicas?" Como pode um pastor usar o dinheiro dos dízimos e das ofertas para pagar altos cachês para esses cantores? E mais: como podem alguns desses cantores, que dizem louvar e adorar ao Rei dos reis, organizar fã-clube, dar autógrafos e pedir grandes somas de dinheiro para adorar a Deus?

Os que apoiam esse tipo de atitude justificam usando a própria Bíblia: “o obreiro é digno do seu salário”. Mas que obreiro?

O verdadeiro obreiro de Deus jamais deseja a glória para si. Ao contrário, ele segue sempre o exemplo de João Batista: “É necessário que ele (JESUS) cresça e que eu diminua (Jo. 3:30). Tem o ideal de Jeremias: “E procuras tu grandezas para ti mesmo? Não as procures” (Jr. 45:5a).

Não é isto que vislumbramos em nossos dias. Hoje, o cantor evangélico ganha Disco de Ouro e participa de grandes festivais. Há algum tempo foi realizado o Troféu Talento, considerado o Grammy da música evangélica, cujo objetivo era a premiação aos “melhores” do show gospel. Muitos desses festivais possuem efeitos especiais e são realizados em casas de shows de altíssimo nível. Em muitos casos há cobrança de ingressos. Os cachês de alguns desses irmãos cantores são excessivamente elevados, e muitos não cantam se não houver cachê. Para muitos empresários do ramo, esses cantores são máquinas de fazer dinheiro, e os evangélicos de um modo geral, nada mais são do que potenciais consumidores.

Em muitas igrejas já não é possível identificar se o que eles realizam é culto ou show. Várias denominações estão perdendo sua identidade, passando a ser conhecidas como a “igreja do cantor Fulano”, “a igreja do pastor Sicrano”, “a igreja do jogador Beltrano” etc. Alguns freqüentam essas igrejas porque lá congregam tal atriz ou tal ator. Atualmente já existem fãs-clube para evangélicos, bloco carnavalesco evangélico, danceteria evangélica etc. Pedem-se autógrafos, e a tietagem é explícita entre os admiradores das “estrelas evangélicas”.

Lamentavelmente, a Estrela do Evangelho, Jesus Cristo, em algumas igrejas, brilha menos do que as “estrelas evangélicas”. E o pior de tudo é que muitos crentes acham tudo isso muito normal. E assim seguem normalmente a vida...

3- CAPITALISMO EVANGÉLICO

Grosso modo, capitalismo é a influência ou supremacia do capital ou do dinheiro. Em outras palavras, é um sistema pelo qual alguém investe capital ou dinheiro numa atividade produtiva com o objetivo de gerar lucros. Mas, qual a relação que isso tem com o Evangelho? 

Bem! Com o Evangelho genuinamente bíblico, nenhuma; contudo, com o evangelho que muitos pregam em nossos dias, há uma intrínseca convivência. Lamentavelmente, o Evangelho tornou-se para um grande número de pessoas, num meio totalmente eficaz de enriquecimento, numa fórmula perfeita de ascensão financeira.

Grandes empresas, principalmente do ramo fonográfico e editorial, infiltraram-se no meio evangélico, buscando dessa forma ampliar seus lucros; atingir um “mercado” em fase de expansão, afinal só no Brasil somos mais de 20 milhões! Utilizam-se do Evangelho de forma inescrupulosa, bombardeando os crentes com um marketing estrategicamente elaborado, fazendo uso de uma linguagem cristã, dando uma roupagem aparentemente evangélica ou gospel aos seus produtos. Daí ser comum ouvir-se falar de “Plano de Saúde Evangélico”, “Cartão de Crédito Evangélico”, “Shopping Evangélico” etc. Em um periódico, uma agência de turismo anunciava uma excursão à “Disney Gospel”. Até sindicato de pastores já foi cogitado entre nós!

Não há dúvidas. O capitalismo, sob uma camuflagem cristã, penetrou no seio da igreja, conduzindo muitos crentes ao consumismo exacerbado e ao materialismo desenfreado. O desejo pela prosperidade financeira suplanta, em algumas denominações, o anseio pela intimidade com Deus. E o pior: a ambição pelo dinheiro ganhou respaldo bíblico. Fazem uso da Bíblia para justificar suas doutrinas de prosperidade. O dízimo, que deveria ser dado com o intuito de manter a obra do Senhor, tornou-se numa espécie de “investimento” ou numa “fórmula mágica” para se obter dinheiro de Deus: “Se você der tudo, receberá em dobro”, dizem alguns; e outros: “O diabo segura a carteira do crente para ele não dar oferta”. Uma pregadora, de maneira enfática, afirmou em uma de suas pregações: “Deus tira do diabo e dá para nós”.

A famigerada Teologia da Prosperidade, que é motivo de controvérsia entre as diversas denominações evangélicas, ganhou terreno e já é naturalmente aceita por inúmeras igrejas. Em muitos casos é utilizada de forma apelativa, como um chamamento para os que enfrentam algum tipo de dificuldade financeira ou males físicos: “Se Jesus estivesse entre nós, hoje, ele sairia num Boeing particular e compraria emissoras de rádio e televisão para pregar o mais rápido possível a sua Palavra”, foi o que afirmou um pastor ligado ao movimento. Trata-se de uma propaganda extremamente cruel, pois busca atingir o ponto mais fraco do ser humano. Quem, que enfrentando uma grande dificuldade, não se deixa influenciar por algo do tipo: Pare de sofrer! Ou: Aqui seus problemas terão fim. Ou ainda: Só sofre quem quer etc. Para muitos que compartilham essas idéias, Jesus foi um grande milionário e até usava roupas de grife. Frases tais como: “eu peço”, “eu clamo”, “eu imploro”, “eu suplico” foram substituídas por: “eu exijo”, “eu decreto”, “eu determino”, “eu reivindico” etc. São, no dizer de um escritor cristão, os “supercrentes”, àqueles que podem tudo, que estão sempre “amarrando satanás” e que, aparentemente, estão isentos dos dissabores da vida. Todavia não são poucos os relatos de desapontamentos, quando percebem que a vida não é nenhum mar de rosas e que, como qualquer outra pessoa, estão sujeitas às mesmas procelas; quando sentem na própria pele, o “espinho na carne”.

A prosperidade financeira transformou-se numa espécie de “femômetro” (ou “fidemômetro”), capaz de medir o grau da fé de alguém: se prosperou, a fé é grande; se fracassou, é pequena. Provavelmente para estes, os crentes da Somália, da Etiópia, das Filipinas, do Afeganistão etc. são todos fracassados, uma vez que vivem em petição de miséria. Ao contrário, os suecos, os japoneses, os americanos (principalmente estes, de onde veio tal doutrina) são poderosos na fé, uma vez que desfrutam de grande bonança financeira. Portanto, é muito cômodo a quem tem bens materiais e saúde proclamar, como um arauto, que a escassez de dinheiro e a enfermidade significam ausência de fé. Como disse um poeta: “Quem nunca foi ferido, zomba das cicatrizes”.

Para esses pregadores, a fé só é fé se vier acompanhada de bênçãos materiais. Eles dizem - categoricamente - que se as nossas orações não estão sendo respondidas é porque não temos fé, e se a temos, ela deve ser fraca. Não é à toa que muitas pessoas vivem atormentadas por sentimentos de culpas, titubeando na fé e sentindo-se fracassadas espiritualmente, questionam-se com questões do tipo: Será que a minha fé é fraca? Será que estou em pecado? Será que Deus me abandonou? Será que estou sendo provado por Deus? Será que é a vontade de Deus que eu sofra? Tais pregadores oferecem apenas as rosas, esquecendo-se dos espinhos. Dessa forma, quando surgem as provas, muitos se desviam da fé. É deveras angustiante servimos a Deus, crermos na sua Palavra, e ainda assim sermos acusados de não termos fé. Esses “superpregadores” esquecem que, não obstante servirmos a um Deus Todo-Poderoso, maravilhosamente Poderoso, infinitamente Poderoso, ainda assim somos gentes, vivemos num mundo onde alegria e tristeza, pobreza e riqueza coexistem relativamente para cada pessoa. Se a chuva vem para os justos e injustos, conclui-se que as dificuldades não são diferentes. Conheço pessoas ímpias que não somente têm dinheiro, como também esbanjam de perfeita saúde; também conheço pessoas cristãs, sinceramente cristãs, fiéis a Deus, que além de não terem saúde, sofrem com a escassez de dinheiro, vivem de aluguel, ganham um ínfimo salário etc. Conheço igualmente o oposto: pessoas ímpias que não têm nada, vivem em evidente miséria, e pessoas cristãs que têm saúde e dinheiro. A diferença não está em nossos bolsos, em nossos corpos físicos: Está dentro de nossos corações. Se Deus é o nosso estandarte, então as circunstâncias, não importam quais, não impedem que sejamos verdadeiros filhos de Deus, e isso mesmo diante da pior tempestade. O que nos conforta é sabermos que em nenhum instante estaremos sozinhos. O apóstolo Paulo, diz a Bíblia, tinha um misterioso espinho na carne, e mesmo clamando a Deus não foi respondido. Vale a pena perguntar: será que ele também não tinha fé?

Se formos fazer uma análise dos chamados “Heróis da Bíblia” ou dos “Heróis da Fé”, concluiremos que a vida para eles não foi tão regalada como afirmam hoje os pregadores dessa teologia. No antigo pacto, é verdade, alguns homens de Deus, como Abraão, Jó, Salomão, entre outros, tiveram grandes riquezas; todavia, Moisés, Jeremias, Isaías e outros profetas não as tiveram. Então pergunto: Será que os primeiros eram diante de Deus melhores que os outros?

Analisando ainda a vida dos homens de Deus, principalmente na Nova Aliança, após o advento de Jesus, notaremos, começando por Jesus, que a vida para eles não foi tão abastarda assim. A Bíblia afirma que Jesus não tinha sequer onde inclinar sua cabeça. O diabo, quando o tentou, ofereceu-lhe as riquezas do mundo, os tesouros do reino da terra, mas Jesus o repreendeu. Foi Jesus quem disse que o nosso tesouro deve estar nos céus, porque lá a ferrugem não o corrói. Por que será que em vez de ter nascido num esplendoroso palácio, ele nasceu em uma humilde manjedoura? Por que será que em vez de ter entrado em Jerusalém numa luxuosa carruagem, ele foi montado num simples jumentinho?

Os discípulos de Cristo também não eram ricos. O único que se deixou levar pela ambição, Judas, teve um fim deveras trágico. Quando algumas pessoas ricas chegavam para Jesus, como é o caso de Zaqueu e do jovem rico, foram motivados por ele a dividirem seus bens com o próximo. A Igreja primitiva tinha esse hábito. Diz a Bíblia que os irmãos prósperos dividiam com os menos favorecidos socialmente os seus bens. Alguns, como Ananias e Safira, morreram em conseqüência da ambição. O apóstolo Paulo não teve, como alguns supõem, uma vida maravilhosa. Muito pelo contrário, sofreu pelo nome de Jesus, não somente açoites, mas prisões, e mesmo a morte. Em uma de suas epístolas, diz ter feito tendas para se manter, não querendo causar peso aos outros. Que diremos de João que, mesmo estando preso numa ilha, permaneceu firme na fé, sem jamais questionar os desígnios de Deus?

Não estou fazendo apologia do fracasso, da doença, da pobreza. Não, não é isso! Muito pelo contrário, não há nada de errado em desejarmos ter uma vida bem sucedida; não vejo nenhum problema em querermos uma vida com saúde. Tudo isso é bom e importante. Contudo, se porventura nos faltarem essas coisas, nunca devemos achar que por isso não temos fé.

Se a prosperidade financeira for indício de fé, mui provavelmente o dono da Microsoft, Sílvio Santos, Ronaldinho entre outros, são superpoderosos na fé; são, eu diria, os modelos da fé perfeita, afinal são milionários!

O que é fé? Para muitos significa viver regaladamente em suas lindas mansões, ter o carro do ano, de preferência importado. É possuir saúde, e muitas vezes, fama. Pregar é mais cômodo pela televisão e no rádio. Para que ir à Índia, à Etiópia, à Somália, ao sofrido Iraque, aos submundos das favelas, se é possível viver “rompendo em fé” aqui em meu conforto?

Que Deus abra nossos olhos!



Jaime Nunes Mendes.
Congrego na Igreja Assembléia de Deus - Jardim Cid

O que será a marca da besta?

Rio, 05/08/2014 - 12:54



Muitos afirmam que a marca da besta será uma moeda única, outros o código de barras, outros o microchip, e até há os que afirmam de pés juntos que a tão terrível marca da besta é a guarda do domingo. Cada uma dessas afirmações foi estabelecida com base no conhecimento que se tinha na época, por exemplo, não se falaria em código de barras na idade média. Mas há as interpretações de cunho denominacionais como a guarda do domingo pelos Adventistas do Sétimo Dia e de símbolos religiosos.

O estudo abaixo é um "resumo", ele foi publicado no Site BJCV em 27 de abril de 2003 com a intenção de preparar a igreja para uma possibilidade de a marca da besta ser algo bem mais simples, e não deve ser descartado.

A Marca da Besta

"E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte, para que ninguém pudesse comprar ou vender, senão aquele que tivesse o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome. Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis." (Apocalipse 13.16-18)

SINAL
Aquilo que serve de advertência, ou que possibilita conhecer, reconhecer ou prever alguma coisa; expediente convencionado para se transmitirem a distância, por meios visíveis ou auditivos; ordens, notícias, avisos; marca, rótulo, letreiro.

MARCA
Um sinal que se faz num objeto para reconhecê-lo; desenho ou etiqueta de produtos industriais; categoria, qualidade, espécie, tipo, impressão, selo, cunho; letra, nome ou emblema feito à tinta ou à linha numa peça de roupa; medida reguladora; padrão, bitola.

O sinal, ou a marca da besta, poderá ser uma identificação "planetária", e não somente um tipo de moeda única como muitos afirmam, por exemplo: cartão de crédito, dólar ou euro. Ela, como vimos acima,  identifica um produto, ela não é o produto em si.

Ao comprar arroz no mercadinho perto de minha casa, fiquei surpreso ao notar a figura ao lado (marca) impressa na embalagem de 5kg do arroz marca Carreteiro. Como sabemos, segundo pesquisadores evangélicos, este símbolo significaria o olho de Lúcifer sobre as finanças, e que é usado na Maçonaria, que por sua vez são ferramentas de Satanás tentando controlar a economia do mundo através da criação de um banco único.

Disse Jesus: "Mostrai-me a moeda do tributo. E eles lhe apresentaram um dinheiro. E ele diz-lhes: De quem é esta efígie e esta inscrição? Dizem-lhe eles: De César. Então ele lhes disse: Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus." (Mateus 22.19-21). Toda moeda tem uma efígie e inscrição que identifica sua origem, país ou nação.
  
De quem é esta efígie e esta inscrição na moeda?

E hoje o povo responderia: do Papa.
Dai pois ao Papa o que é do Papa, e a Deus o que é de Deus. O Papa tornou-se o Imperador de Roma: a Roma religiosa, que prossegue expandindo os seus domínios através da igreja de Constantino.

EFÍGIE
Representação da figura convencional de uma personagem real ou fictícia, de uma divindade; imagem, figura, retrato.

O valor econômico de uma moeda, em relação a outra, não é determinada apenas pelos números que nela há, e sim, pela marca que a identifica. O real vale mais do que o peso; o dólar, mais do que o real; o euro mais do que o dólar. A marca ou o nome, vale mais do que o os números nelas gravados, pois representam a economia "forte ou fraca" de um país em relação ao outro.
   
Mesmo havendo uma conspiração para criar tal moeda única, como sugere um artigo antigo na Internet, "O Colapso da Economia Mundial", esta nova moeda não traria a paz que o mundo almeja, o fim da violência gerado pelos terroristas, seqüestradores, traficantes, contrabandistas, etc. É muito improvável, mas não impossível, a criação de uma moeda única, pois para isto teria que haver um único país, e a Bíblia não nos dá esta idéia nas revelações apocalípticas, pois o termo "nações" é usado em toda a Bíblia, do princípio ao fim, até mesmo antes de lançarem Satanás no lago de fogo eterno, pois cada nação tem a sua própria política econômica. "E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, e sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha." (Apocalipse 20.7,8)

SEGURANÇA
Ato ou efeito de segurar; condição daquele ou daquilo em que se pode confiar; garantia, etc. "Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição" (1ª Tessalonicenses 5.3)

Até hoje há animais, como o gado, que são marcados com as iniciais do seu proprietário. O Ibama, e outras organizações, marcam os animais, em nossos dias, com chips eletrônicos para identificá-los. "Não haverá paz sem segurança", dirá o anticristo, ou a imagem da besta que falará. Logo, para que haja segurança será necessário identificar os indivíduos. "E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse (Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria). E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade." (Lucas 2.1-3). Cada país poderá manter, se desejar, sua própria moeda corrente, mas em nome da segurança mundial, todos deverão ser marcados, identificados. Sem a marca você não poderá comprar ou vender, seja qual for sua moeda (forma de pagamento). Para você comprar um carro novo hoje, na agência, não basta ter dinheiro, tem que se identificar mediante a apresentação de documentos, exemplo: CPF.

Eu usei no início deste estudo o termo identificação "planetária" pois, como sabemos, há no mundo todo, nas religiões, principalmente esotéricas, a expectativa da vinda de "seres do espaço", que poderão trazer esta marca (tecnologia de identificação). Claro que tudo fará parte, se for assim, dos sinais e prodígios que o falso profeta fará.

OS SINAIS
Para conhecer a marca pelo qual o sistema de identificação 666 será implantado, basta tão somente observarmos os sinais que cercam o falso profeta que a introduzirá, a saber: "E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens." (Apocalipse 13.13). "Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.” (Apocalipse 13.17)

O número 666, citado por João, pode ter várias interpretações, mas os sinais não. Os sinais, para mim, são ações claras e até seqüenciais; pois primeiro o falso profeta fará descer fogo dos céus, não importando muito se este sinal de fogo são foguetes militares ou meteoros. Há também a possibilidade de serem os demônios que terão a aparência de fogo descendo do céu. Em segundo ele dará fôlego (vida) a uma imagem. Muitos dizem que esta imagem será na verdade um grande computador, uma máquina. O fato é: com o aumento da religiosidade mundial, incentivada por Satanás, não será difícil a edificação desta imagem, seja ela de madeira, de pedra ou até eletrônica.

"Se levantar no meio de vós profeta, ou sonhador de sonhos, e vos anunciar um sinal ou prodígio, e suceder o sinal ou prodígio de que vos houver falado, e ele disser: Vamos após outros deuses que nunca conhecestes, e sirvamo-los, não ouvireis as palavras daquele profeta, ou daquele sonhador; porquanto o Senhor vosso Deus vos está provando, para saber se amais o Senhor vosso Deus de todo o vosso coração e de toda a vossa alma." (Deuteronômio 13.1-3)

Será realmente uma prova de fé para os crentes que estiverem vivos nessa ocasião. Mas há uma promessa da parte de Jesus Cristo para os que o servem: "Porquanto guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para pôr à prova os que habitam sobre a terra." (Apocalipse 3.10)

Paulo usou três exemplos de sinais para nos explicar sobre o tempo da volta de Cristo:

"Mas, irmãos, acerca dos tempos e das épocas não necessitais de que se vos escreva; porque vós mesmos sabeis perfeitamente que o dia do Senhor virá como vem o ladrão de noite; pois quando estiverem dizendo: Paz e segurança! então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão." (Tessalonicenses 5.1,2,3)

1º COMO O LADRÃO
Normalmente o ladrão vem para nos roubar à noite. À noite no caso, é o sinal que nos avisa que devemos nos preparar para um possível assalto. Quando Jesus declarou: "Daquele dia e hora, porém, ninguém sabe, nem os anjos do céu, nem o Filho, senão só o Pai." (Mateus 24.36), Ele não estava se referindo ao tempo, mas sim, a exatidão do dia e da hora. Tenho convicção de que qualquer irmão na fé, que esteja ciente dos sinais, não será pego de surpresa neste tão glorioso dia. "Mas vós, irmãos, não estais em trevas, para que aquele dia, como ladrão, vos surpreenda;" (1ª Tessalonicenses 5.4)

2º QUANDO DISSEREM: PAZ E SEGURANÇA
Cada vez mais aumenta a violência e as guerras no mundo. Há uma crescente expectativa de uma possível terceira guerra mundial. "Ouvi a palavra do Senhor, vós, filhos de Israel; pois o Senhor tem uma contenda com os habitantes da terra; porque na terra não há verdade, nem benignidade, nem conhecimento de Deus. Só prevalecem o perjurar, o mentir, o matar, o furtar, e o adulterar; há violências e homicídios sobre homicídios. Por isso a terra se lamenta, e todo o que nela mora desfalece, juntamente com os animais do campo e com as aves do céu; e até os peixes do mar perecem." (Oséias 4.1,2,3)

Ao lermos este texto em Oséias, parece que estamos lendo um jornal de nossos dias. É em uma situação caótica como essa que surgirá o anticristo, com a suposta solução para a paz mundial.

Devemos observar que o local onde Israel habita sempre esteve em guerra. Quase sempre que ligamos a televisão, para assistir ao jornal, é anunciado que houve mais um conflito naquela localidade, portanto, quando ouvirmos que, principalmente, em Israel há paz e segurança, estará se cumprindo mais um sinal do tempo da volta de Cristo.

3º COMO AS DORES DE PARTO ÀQUELA QUE ESTÁ GRÁVIDA
Recentemente tive a oportunidade de vivenciar este exemplo de sinal com o nascimento de meu primogênito, pois sabemos que uma gestação leva aproximadamente nove meses. Quando os nove meses estão quase se cumprindo ficamos mais alertas, pois não se sabe com certeza o dia e a hora em que o bebê irá nascer, mas com o aumento das contrações, temos uma idéia aproximada, e assim tomamos providências, levamos a gestante à maternidade. "Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima." (Lucas 21.28)

As dores de parto é figura do sofrimento que passarão os crentes, igreja, antes de ser arrebatada; segundo o entendimento que creio ter recebido de Deus sobre este assunto. Quando a igreja no mundo todo estiver sofrendo com as perseguições do anticristo (dores de parto), virá o nosso Senhor Jesus Cristo como um cirurgião médico para trazer a luz, no arrebatamento, a sua igreja, salvando-a da morte física, das mãos da besta e do falso profeta. "E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias." (Mateus 24.22)

A meu ver, as dores de parto é o último sinal profético ligado ao arrebatamento da igreja.

Para mim, o sinal mais importante é a apostasia, pois afeta diretamente a nossa vida como igreja: "Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição" (2º Tessalonicenses 2.3)

Quando nos apostatamos da fé em Deus não mais oramos crendo que realmente seremos atendidos, se é que oramos; e por isso o Espírito Santo fica "impossibilitado" de agir em nós e por nós. Desta forma Satanás aumenta o seu poder sobre a terra, pois o Espírito Santo é o que está impedindo a manifestação do anticristo, falso profeta: "Pois o mistério da iniqüidade já opera; somente há um que agora o detém até que seja posto fora; e então será revelado esse iníquo, a quem o Senhor Jesus matará como o sopro de sua boca e destruirá com a manifestação da sua vinda; a esse iníquo cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás com todo o poder e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para serem salvos." (2º Tessalonicenses 2.7-10)
    
Quando colocamos a fé em nossas "táticas", idéias, estratégias, técnicas, e em nosso pretenso conhecimento psicológico e analítico da humanidade, dizemos ao nosso Deus que: "Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;" (Apocalipse 3.17). Isto é a apostasia.

MAS SERÁ QUE ESTE DIA ESTÁ PRÓXIMO?

"Aprendei, pois, da figueira a sua parábola: Quando já o seu ramo se torna tenro e brota folhas, sabeis que está próximo o verão. Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, mesmo às portas." (Mateus 24.32,33)

Os sinais têm a finalidade de nos comunicar que algo está acontecendo, ou está para acontecer, por exemplo: O sinal amarelo em um semáforo nos comunica que devemos estar atentos a mudança do tráfego. Um barulho estranho em um carro ou uma dor que sentimos no corpo significa que há, ou haverá um problema.

A palavra de Deus nos diz: "Tu, porém, Daniel, cerra as palavras e sela o livro, até o fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará." (Daniel 12.4)

A ciência humana tem se multiplicado assombrosamente nos últimos 50 anos, principalmente a eletrônica. Com a criação da nanotecnologia, diminuindo os componentes eletrônicos quase ao tamanho molecular, com a clonagem de seres vivos, e rompida a barreira dos idiomas, os homens estão mais uma vez se unindo para uma reconstrução da Torre de Babel.

Não será pego de surpresa o irmão que reconhecer que já estamos vivendo a apostasia, e que só falta o anticristo e o falso profeta se manifestarem e conseqüentemente introduzirem a sua marca.

Como podemos perceber, está ao alcance de todo crente, mediante o reconhecimento dos sinais, saber se estamos ou não perto do fim. Eu pessoalmente creio que em um máximo de 10 anos o falso profeta há de se manifestar, pois vejo o cenário praticamente pronto para a sua apresentação.

---------------------------------------------------------------------------------------------
CARTÃO DE CRÉDITO INTELIGENTE
(Texto extraído da revista ISTOÉ de 07/02/1996)

Esse pequeno pedaço de plástico, que passou a ser chamado de cartão inteligente, poderá conter mais informações do que apenas o número de sua conta, sua senha e seu limite de saque, como ocorre atualmente. Com a capacidade multiplicada, ele armazenará, por exemplo, 128 mil caracteres, ou 128 kbytes. Será possível inserir uma fotografia digitalizada do proprietário, os dados de suas carteiras de identidade, motorista, trabalho, saúde, passaporte, cartões de crédito e, sobretudo, uma soma em dinheiro para as pequenas compras do dia-a-dia.

Todo o sistema financeiro mundial trabalha pesado para que esse futuro se torne presente o mais rapidamente possível. Não se trata de experiências distantes, restritas aos avançados centros do Primeiro Mundo. Até o final deste ano, o Bradesco pretende distribuir um milhão de cartões inteligentes aos seus clientes.
  
           

"O cartão inteligente vai mudar a vida dos clientes. Haverá uma circulação menor de moedas, num sistema mais seguro e eficiente. Será também o fim dos problemas com troco", prevê Odécio Grémio, diretor de tecnologia do Bradesco, que já distribuiu 11,8 milhões de cartões e é o maior provedor do País.

Os especialistas acreditam que uma revolução de costumes está em curso. Os números desse crescimento até o ano 2000 são impressionantes: os 85 milhões de cartões, que representam hoje um faturamento de US$ 500 milhões, deverão se transformar em 632 milhões de unidades no final do milênio, que movimentarão uma indústria de US$ 2,5 bilhões.
---------------------------------------------------------------------------------------------
   

Se eu ligo a televisão e escuto no repórter que um homem está fazendo sinais: descendo fogo do céu, fazendo uma imagem falar e introduzindo uma marca, sem a qual ninguém poderá comprar ou vender, o que eu, como evangélico, devo pensar? Devo supor que tudo não passa de uma coincidência? E como tal, não me fará mal algum eu aceitar a marca? Afinal, tenho uma família para sustentar, e não posso pregar o evangelho de barriga vazia! "... Contudo quando vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?" (Lucas 18.8)
  
Na verdade, não importa muito se o número é exatamente 666, se o nome for "Nova Ordem Mundial", se é um microchip ou até mesmo um simples carimbo que será usado para este fim. O que realmente importa é não aceitar a marca e nem adorar a imagem, pois uma vez feito isto, ser marcado, estaremos negando a Cristo, e as conseqüências serão terríveis e eternas.

"Seguiu-os ainda um terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se alguém adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na fronte, ou na mão, também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se acha preparado sem mistura, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. A fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, nem aquele que recebe o sinal do seu nome. Aqui está a perseverança dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fé em Jesus." (Apocalipse 14.9-12)
   
Creio que podemos perceber, pelos sinais, que o fim está próximo, mas o que devemos fazer? A resposta é simples: Buscarmos a santificação que vem de Deus em obedecer a sua Palavra. Nos envolvermos em sua obra salvadora, pregando o evangelho e orando sem cessar. Ou como nos diz o apóstolo Paulo: "usando bem cada oportunidade, porquanto os dias são maus." (Efésios 5.16). Mas devemos nos lembrar que estas atitudes não impedirão a manifestação do mal nos últimos dias, pois o que está escrito, assim sucederá, mas devo novamente citara a promessa de Jesus:

"Porquanto guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para pôr à prova os que habitam sobre a terra." E como o próprio Jesus disse: "Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar assim fazendo." (Mateus 24.46)
  
Finalizando

O anticristo será um homem político e provavelmente também religioso, que através da adoração a imagem da besta (religião) e da implantação da marca "666" (política) tentará varrer da face da terra, de forma definitiva, a igreja de Cristo.

Finalmente lembremo-nos das palavras de nosso Senhor Jesus Cristo em Apocalipse 3.11: "Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa."

André M. dos Santos